Minha jornada pelo storytelling


Uma das coisa mais importante que você pode fazer, antes mesmo de começar a estudar narrativas e storytelling, é desenhar um roadmap; que, em linhas gerais, significa um mapa para te orientar no desenvolvimento daquilo que você está estudando. De modo simplificado é estudar o que se DEVE estudar! E mais, saber a ORDEM em que se deve estudar.
Para isso servem os cursos presenciais, à distância, workshops, palestras ou qualquer coisa que te ajude a desenhar o seu roadmap.

Eu posso contribuir com esse mapa te dizendo o meu mapa e onde eu me encontro nele. Comecei a estudar há apenas 3 anos (mais ou menos), por isso me coloco na posição de um explorador. Só de pensar as coisa que eu quero ler… os fundamentos que quero desenvolver…

Mas a primeira coisa que tenho em mente, é a (overused) imagem do iceberg. É a velha metáfora do 10% na superfície e 90% debaixo d’água. E tome a linha da superfície como a média do conhecimento geral. Sendo assim, a pergunta é sempre a mesma: você quer nadar na superfície como todo mundo? Ou deseja mergulhar mais profundamente?
E quando eu digo mergulhar mais profundamente… eu estou sendo preciso nas palavras: mergulhar profundamente.

Tem um filme do Ed Solomon que se chama Levity (2003), e a linha que não me sai da cabeça é do Morgan Freeman que, em determinado momento diz:
“Não minta para você mesmo.”

Lembre-se dessa fala: ‘seja sincero com você mesmo!’
Portanto, faça a si mesmo essa pergunta com frequência : “O quanto profundo eu quero mergulhar?” E vão existir casos que você simplesmente vai querer ficar boiando na superfície… e pode ficar, não se sinta obrigado a mergulhar.

Quando eu falo ‘mergulhar profundamente’ eu também me refiro a questões elementares como por exemplo “O que realmente é um clichê” – será que ele é tão ruim assim? – O uso da criatividade: você está sendo criativo ou só está flertando com o absurdo? Essa e outras questões eu irei registrar aqui por meio de notas.
A verdade é que faço isso para mim mesmo! Para que as ideias não se percam no labirinto invernal de Jack (O Iluminado), ou nos abismos que te olham de volta (Nietzsche).
Se isso for de alguma ajuda, bem-vindo. E como o nome dessa página se propõe, serei muito breve nas considerações e não irei exaurir qualquer que seja o assunto, portanto, a considere uma obra aberta.
PS.: não esqueci da minha promessa de entregar meu roadmap… mas isso fica para outro post. E obrigado!
Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s